Nunca é tarde para recomeçar, assim como nunca é tarde para aprender

Quebra de estereótipos na terceira idade - desafios e oportunidades do mercado de trabalho

Na vida do idoso, principalmente em questões profissionais, esses dois ditados se conectam para a atualidade, quebrando paradigmas que enxergam a terceira idade apenas como estagnação do ciclo da vida.

Sei que, assim como eu, você já presenciou profissionais maduros em ação, tão cheios de vitalidade e ideias que deixem muitos jovens no chinelo.

Não é à toa que essa presença é cada vez mais forte no mercado de trabalho: de acordo com o IBGE, mais de 8 milhões da população possui 65 anos ou mais. Com o aumento da expectativa de vida, os mais velhos também estão se preparando para viver essa fase mais intensamente. Muitas empresas estão observando esse movimento com atenção e já reconhecem que não reconhecer o valor de um profissional só porque ele atingiu uma determinada idade talvez não seja a melhor decisão estratégica.

Veja, por exemplo, os programas para profissionais para a terceira idade que estão sendo lançados em várias empresas. O grupo Pão de Açúcar, que obteve o primeiro lugar em uma pesquisa do Linkedin sobre as empresas mais cobiçadas para trabalhar, incluiu um programa direcionado para trabalhadores com mais de 55 anos. O objetivo principal é valorizar a experiência profissional e motivar a vivência entre diferentes gerações dentro das equipes.

Outras empresas também já entenderam que a inovação vem de ambientes em que a diversidade está presente, e juntar a motivação e vontade de aprender do jovem com a maturidade e experiência do profissional maduro pode representar uma excelente oportunidade para o desenvolvimento da empresa.

Experiência profissional e conhecimento são pontos-chave na terceira idade

A verdade é que nos últimos anos vimos uma verdadeira revolução no comportamento das pessoas com 50+. Há muitos exemplos de gente que aproveita essa fase para dar uma verdadeira guinada em sua vida, e a trajetória profissional faz parte desse pacote. Alguns entendem que é hora de realizar antigos projetos que foram adiados, realizar-se em uma nova atividade, distribuir conhecimento acumulado ao longo de tantos anos.

Cora Coralina começou a escrever com 75 anos, e o Coronel Sanders fundou a KFC, famosa pelos seus frangos fritos, aos 62. E o que dizer então da minha poetisa favorita, Adélia Prado, que lançou seu primeiro livro com 41 anos e ao 43 anos recebeu o Prêmio Jabuti, na categoria Poesia, por "O Coração Disparado", lançado em 1978.

<div><img src=/biblioteca/originais/1987_adelia.jpg></div>

"O interessante da vida é a tarefa da vida."
Adélia Prado, aos 82 anos.

Mas não precisa ir tão longe! Tenho certeza que neste momento você consegue pensar em alguém que simplesmente se recusou a parar, mesmo tendo (teoricamente) idade pra isso.

Hollywood ilustrou bem esta fase com o filme "Senhor Estagiário", uma trama cativante em que Robert de Niro interpreta um homem que, aos 70 anos, busca se reinventar através de um estágio e, sem querer dar spoillers, nos ensina sobre o que a experiência de um idoso pode nos oferecer.

"Dizer que os mais velhos não têm energia é discriminação"

A afirmação acima é de um artigo recente de Lucy Kellaway, colunista do "Financial Times", que completa "dos 50 e 60 anos, com a vida noturna e os cuidados com os filhos já encerrados, parece plausível presumir que o nível de energia das pessoas seja mais alto. A maioria dos meus contemporâneos come melhor e se exercita mais hoje do que fazia há 30 anos. Precisamos de menos sono, e mesmo que algumas leis da biologia estejam se voltando contra nós, aprendemos a empregar os nossos recursos limitados da melhor maneira possível."

Eu mesma, com trabalhos como voluntária em uma associação de amparo à mulher, consigo observar senhoras idosas que buscam começar novas atividades, reintroduzir-se no mercado ou ganhar conhecimento, e é incrível encontrar tanta disposição e vontade de aprender

A internet a serviço da diversidade

Redes sociais são uma ótima fonte de networking; para o idoso, em especial, pode significar uma quebra de paradigmas no seu estilo de vida. Além de ser uma fonte inesgotável de informação, muitas plataformas ajudam a estreitar relacionamentos, até mesmo profissionais. O Linkedin, por exemplo, é uma excelente rede de relacionamento para quem quer se reinventar profissionalmente, ou mesmo seguir adiante em uma carreira já consolidada.

Muitas outras plataformas estão sendo criadas especialmente para a terceira idade. A MaturiJobs, por exemplo, conecta profissionais acima dos 50 com empresas que querem investir no relacionamento intergeracional como fonte de inovação e conhecimento.

<div><img src=/biblioteca/originais/1987_maturi.png></div>

Como surgiu a MaturiJobs

Aos 80 anos de idade, Keila, avó paterna de Mórris Litvak, encontrava-se muito bem. Trabalhava como secretária e tradutora em uma empresa do outro lado da cidade, fazia trabalho voluntário e também ajudava muito a família. Ela adorava cozinhar e aos finais de semana fazia suas delícias para os filhos e netos.

Um dia, indo para o trabalho, ela sofreu uma queda e um desmaio andando na calçada, que lhe machucou um pouco e em função disso parou de trabalhar, passando então a ficar a maior parte do tempo em casa, sem mais poder compartilhar sua experiência como gostava de fazer.

Mórris pôde ver de perto como a saúde física e mental de sua avó declinaram rapidamente a partir de então.

E foi exatamente como aconteceu com muitas pessoas incríveis que ele conheceu em uma instituição de longa permanência para idosos onde fez trabalho voluntário entre os anos de 2011 e 2012, pouco antes de sua avó falecer. Lá, Mórris ouvia dos idosos histórias de vida maravilhosas e sempre aprendia muito.

Todos os idosos que ele conheceu lá tinham histórias de vida incríveis e adoravam contar suas experiências, que Mórris ouvia atentamente e sempre aprendia muito.

Motivado por esses acontecimentos, Mórris abraçou a causa da longevidade e entrou de cabeça nesse universo em 2014, quando desenvolveu um projeto para conectar jovens a idosos institucionalizados através da internet.

Ao começar a entender o panorama do rápido envelhecimento da população no Brasil e no mundo, e os impactos diretos que esse contexto traz a toda a sociedade, Mórris decidiu que precisava fazer mais. Passou então a estudar profundamente este assunto e, principalmente, conversar com as pessoas para entender a realidade de cada uma delas. Fundou então a MaturiJobs em 2015, como um negócio social, com o intuito de ajudar as pessoas maduras a terem a oportunidade de continuarem ativas e compartilhando suas experiências pelo tempo que quiserem.

Já pensou no poder que a terceira idade apresenta? Você daria uma oportunidade de trabalho a alguém com mais de 50 anos?

Até a próxima!

Denise Maia - Especialista em Social Business da <a href=http://www.linkedinparavendas.com.br/apoiophp.php?p=treinamento+empresarial+linkedin>DMS Digital Marketing Solutions </a>

O texto sobre a criação da MaturiJobs foi extraído com permissão, do portal: <a href=https://www.maturijobs.com/>www.maturijobs.com</a>

Contato

 Av. 9 de Julho, 5229 - 1º Andar - Itaim Bibi, São Paulo - SP, 01406-200


  (11) 4810-5338


contato@dmsdigital.com.br