Como aprendi a gerenciar meu tempo com o método Pomodoro

<div><img src=/biblioteca/originais/1609_gerenc_tempo.jpg></div>

Produtividade é um tema que eu persigo desde sempre. Afinal, como é possível fazer o dia se transformar em um longo período em que tudo cabe, e chegar ao fim com a sensação de dever cumprido?

Imagino que sua rotina não seja muito diferente da minha: muitas reuniões, muitos e-mails para responder, um sem-fim de decisões para tomar e os projetos que vão se acumulando. Não estou reclamando não, até porque a alternativa de não ter uma agenda cheia não é nada boa, principalmente para quem tem a própria empresa! Rsrs

Meu desafio sempre foi manter uma agenda cheia, mas organizada. Aliás, quando se é empresário, um dos principais desafios é olhar para todas as tarefas e saber o momento de fazer o que eu chamo de ‘fechar a agenda’. Em outras palavras, saber a hora de parar.

<div><img src=/biblioteca/originais/1609_tempo2.jpg></div>

Em uma pesquisa sobre o assunto, encontrei um método que tem me ajudado muito a organizar o meu dia e fazer com que eu tenha mais foco e seja mais produtiva. O nome do método é pomodoro, e a origem do nome é divertida: o italiano Francesco Cirillo, inventor desta técnica, usou um despertador desses de cozinha em formato de tomate para gerenciar o tempo.

Cirillo desenvolveu essa ideia porque descobriu que quando dividimos o trabalho em blocos estimulam a atividade cerebral e aumentam o foco.

4 passos simples que me ajudaram a organizar o meu dia

Uma das razões que me fizeram gostar do método pomodoro de gerenciamento do tempo é porque ele é muito simples e fácil de ser aplicado. O método é dividido em 4 passos:

1. Listo todas as tarefas que tenho durante o dia

2. Escolho a tarefa (ou tarefas) que quero realizar e cravo 25 minutos no cronômetro do celular. Durante esse tempo, não deixo que nada me distraia e tire o foco: whatsapp, e-mail, telefonema; nada que não tenha sido programado para este período. Para evitar estresse, já combinei com minha equipe sinais de emergência para eles me acionarem nesse período, mas sabem que só devem fazer isso se for REALMENTE uma emergência.

3. Terminados os 25 minutos, faço uma pausa de 5 minutos. Levanto, tomo uma água, dou uma esticada, e volto para mais um período de 25 minutos. Às vezes, o tempo está perto de se esgotar e eu ainda não terminei minha tarefa. Aí, vale o bom senso: se estou perto de concluir, continuo em frente e faço um período de descanso um pouco mais prolongado, mas mesmo assim não deixo passar de 10 minutos.

4. Depois de 4 pomodoros, ou seja, duas horas, dou um intervalo maior, de 30 minutos, para avaliar minhas tarefas e outras coisas que queira fazer.

Para mim, o método deu tão certo que consigo agora avaliar quantos ‘pomodoros’ levo para cumprir determinada tarefa e gerencio meu tempo com muito mais eficácia e eficiência. Sei que para o projeto X vou precisar de 10 pomodoros e consigo distribuí-los ao longo dos dias que tenho de prazo para desenvolvê-lo, por exemplo.

Se você já conhece esse método, compartilhe aqui o que achou, e se não conhece ainda, mas vai arriscar, não esqueça depois de me contar os resultados.

Até a próxima!

Denise Maia - Especialista em Social Business da DMS Digital.

Contato

 Av. 9 de Julho, 5229 - 1º Andar - Itaim Bibi, São Paulo - SP, 01406-200


  (11) 4810-5338


contato@dmsdigital.com.br